A acupuntura é apenas uma das técnicas terapêuticas que compõem um conjunto de saberes e procedimentos constituintes da Medicina Tradicional Chinesa; e tem como concepção o estudo dos fatores causadores da doença, sua maneira de tratar conforme os estágios da evolução do processo de adoecer, e principalmente, o estudo das formas de prevenção.

Desta forma, a Medicina Chinesa enfatiza os fenômenos precursores de alterações funcionais e orgânicas que provocam o aparecimento de sintomas e de sinais. A causa destes processos nada mais é do que o desequilíbrio da Energia Interna, ocasionado pelo meio ambiente, fatores externos ou pela alimentação desregrada, emoções retidas, fadigas e distúrbios de origem interna.

Os pontos de acupuntura distribuídos pelo corpo podem ser puncionados com agulhas ou aquecidos com a queima da erva Artemisia vulgaris. Podem ainda ser estimulados por ventosas, pressão, estímulos elétricos e, mais recentemente, lasers. Segundo a Medicina Tradicional Chinesa, os pontos podem transmitir a função e as mudanças dos órgãos internos do corpo para a superfície e, ao mesmo tempo, deixar penetrar os fatores exógenos da superfície para o interior. Por esse motivo, acredita-se que os pontos de acupuntura tem essa delicada função de “transmissão”.

A aplicação da agulha provoca um tipo de estimulação sensorial seletiva dessas pequenas áreas distribuídas pelo corpo, denominadas acupontos. Estes pontos são regiões altamente vascularizadas e inervadas facilitando a estimulação através de meios eletromagnéticos, mecânicos e térmicos. A reação local distribui-se pelo organismo através de canais denominados meridianos.

Trabalhos realizados na Rússia e em Cuba revelaram que determinadas substâncias marcadoras, quando administradas exatamente em um ponto de acupuntura, percorrem um caminho extremamente semelhante ao do meridiano, indo para o interior do corpo por essa via. Durante o tratamento, alguns pontos são estimulados ao mesmo tempo, seguindo uma determinada sequência de ação, onde as combinações destes pontos ativam diferentes circuitos dependendo do caráter, intensidade e duração do estímulo.

No Ocidente a acupuntura ganhou credibilidade principalmente por seu efeito no alívio da dor, seja ela de várias origens. Está é uma das razões para o grande destaque da pesquisa e estudo dos mecanismos analgésicos da acupuntura. Além de todas as comprovações científicas acerca da eficácia da acupuntura no tratamento de quadros álgicos e outras enfermidades, deve-se levar em conta também a atuação desta técnica no alívio de manifestações como estresse, ansiedade e preocupação. Muitos problemas agudos e crônicos tem suas dificuldades de melhora pelo envolvimento de questões emocionais dos pacientes. E a busca de terapias que possam diminuir essas manifestações tendem a reduzir a magnitude da resposta dolorosa e a ajudar na cura.

Em 2003, a Organização Mundial de Saúde publicou o documento “Acupunture – Review and Analyses of Reports on Controlled Clinical Trials” agrupando resultados de estudos clínicos realizados por grupos de renomados pesquisadores de vários países. As pesquisas objetivaram analisar a eficácia da acupuntura e suas técnicas complementares. Foram avaliadas 147 doenças, sintomas e condições de saúde, todas com respostas positivas quando tratadas pela acupuntura.

VOLTAR PARA SERVIÇOS